KANJI

História: KANJI (ideogramas)

Os kanji ou ideogramas foram criados na China há mais de 3500 anos. No início, não passavam de desenhos que, com o tempo, foram esquematizados em imagens pictográficas até adquirem formatos atuais. 

 

Há diversas teorias sobre como e quando os kanji foram introduzidos ao Japão. O mais provável é que os japoneses tenham conhecido os kanji, já evoluídos até os formatos atuais, por volta do século IV a V, e tenham adaptado para transcrever a sua língua, criando leituras próprias. Assim, um único kanji possui várias leituras.

 

O kanji considerado o campeão de leituras variadas é o “” que significa “vida, nascimento, vigor, pureza”, podendo ser lido sei, shô, nama, ki, i(kiru), u(mareru), ha(eru), o(u). Como pode ser observado, os kanji além de serem símbolos gráficos com idéias, podem ser utilizados como representações fonéticas. Assim, poderemos brincar de escrever os nomes estrangeiros em kanji. 

kanji01.jpg

 

 

Por se tratar de representação gráfica de idéias, existem milhares de kanji. Porém, como são combinações de dois ou mais caracteres básicos, se souber os caracteres básicos, não são letras tão difíceis. Por exemplo: os radicais que representam o elemento semântico do kanji, basicamente, são em torno de 250 ou pouco mais.

Exemplo de alguns radicais:

kanji02.jpg

kanji03.jpg

kanji04.jpg

Comparado ao alfabeto latino, são letras bastante diferentes e exóticas, despertando interesses e desafiando ao aprendizado destas letras.